10 passos na hora de tirar uma ideia do papel

10 passos na hora de tirar uma ideia do papel

Venha conosco descobrir mais sobre os 10 passos para tirar essa ideia da mesa e colocar ela entre nós.

Ter uma ideia é algo que faz você sonhar acordado? Quem nunca teve aquele sonho ou aquele clique especial que pode mudar a vida de todos ao seu redor?

Mas como no futebol, treino é treino e jogo é jogo, não adianta ter uma ideia e não executar. Ou ainda, não colocar em prática, e viver sonhando do que poderia ter sido.

Desenvolver sua ideia em um produto não acontece do dia para a noite. Mesmo com muito esforço, dedicação e tempo, será necessário planejamento e um modelo de gestão para desenvolver o seu produto com sucesso.

Ideia na cabeça

Um erro comum de quem está começando um projeto é acreditar que a ideia está pronta para ganhar o mundo. E que todos irão comprar seu produto ou contratar o serviço porque é algo muito especial.

Para construir um item novo, seu primeiro passo é justamente conceber e refinar a ideia.O que vai garantir seu sucesso é a capacidade de execução.

Por isso fale com amigos, colegas, potenciais clientes, investidores e quem mais puder colaborar no seu projeto. Não tenha medo de roubarem sua ideia, porque quem acredita e vai transformar em realidade será você.

Conseguir inovar tem mais a ver com uma rotina de atividades e planejamento do que com uma ideia que surge na hora do café ou do banho.

Modelo de negócio

Você sabe o que é mais importante do que transformar suas ideias em um produto? Entender, criar e desenvolver a sua ideia em uma oportunidade exclusiva.

A fase de estruturação do seu projeto em um modelo de negócio é essencial e está relacionada às atividades realizadas antes do desenvolvimento do projeto do produto.

Parece mais complicado falando do que fazendo, mas vamos te ajudar a entender isso com todo o cuidado e criar algo diferenciado no mercado.

Por meio do seu planejamento de negócio serão identificadas as novas ideias de produtos, as estratégias que serão seguidas pelos produtos que serão criados (comercialmente, inclusive, indo além da ideia inicial) e também o gerenciamento da entrada dessas ideias ou produtos no funil de desenvolvimento.

Isso tudo irá garantir que a fase seguinte, de investimento em protótipos, pesquisas e produtos de mercado seja, realmente, um sucesso.

Ao realizar um modelo completo de negócios você vai validar a sua ideia e, com isso, acelerar a sua empresa, seu produto e sua vida pessoal e profissional.

Uma grande parcela dos empreendedores brasileiros acredita que a ideia que tiveram já garantirá o seu sucesso. E, que assim como ele, todos irão amar e comprar seu produto. Mas isso está errado, como já falamos.

Análise de mercado

Mais do que pensar, você precisa estar preparado para ser um grande profissional que conseguirá tirar o próprio sonho do papel e botar na rua.

Por isso que o modelo de negócio faz sentido e é essencial. Afinal, qual problema você resolve, mesmo!?

Algumas perguntas de negócios são bem interessantes para respondermos juntos, principalmente quando falamos de mercado, que tal puxar uma folha e colocar na ponta do lápis as respostas abaixo?

  1. Qual é o negócio da sua organização e como ele será no futuro?
  2. Quem são os clientes?
  3. O que eles irão considerar valioso na organização, em seus produtos e/ou serviços?
  4. Quais serão os resultados da empresa?
  5. A quem interessa a chegar neste resultado?

Validação de hipóteses

Ser empreendedor é acreditar, mas ouvir o cliente, é melhor ainda. Antes de avançar nos sonhos, responda os itens básicos do planejamento da sua empresa e, principalmente, ouça seus futuros clientes.

E não estamos falando dos amigos e familiares, que podem mais atrapalhar do que ajudar com opiniões nem sempre sinceras, mas sim de quem vai comprar (trocar dinheiro pelo seu serviço ou produto). Ao ouvir e aprender você vais economizar em tempo e dinheiro no futuro, acredite.

Por melhor que seja a ideia, quem precisa assimilar é o cliente. Pesquisas, entrevistas, formulários on-line. Tudo pode ser usado, mas seja consciente e aplique com alguma metodologia para ter um resultado eficiente.

Aproveite esse começo para alinhar seu projeto e materializar seu sonho. Saia do círculo de amigos e rodinhas de empresários e entenda a dor que seu item resolve e faça da sua ideia a melhor solução.

Se os consumidores são movidos por itens como necessidade e desejo, esteja atento para descobrir como ativar esses elementos com seu produto.

Viabilidade econômico-financeira

Antes de comprar ou investir, boas empresas avaliam os prós e contras de qualquer ação que envolva dinheiro e tempo. Em resumo: é um estudo que avalia se vale a pena ou não começar ou investir em algo.

Mas como fazer a viabilidade econômico-financeira? O processo envolve de forma simples a comparação do retorno financeiro diante do que será aplicado.

O desconhecimento da viabilidade econômica e financeira de um projeto é um vilão que você cria sem saber. Porque por melhor que seja sua ideia e por mais motivado que vocês esteja, um erro aqui e tudo estará indo para o fim.

Você deve considerar uma série de itens aqui, como: o tempo investido por você e os demais sócios ou funcionários. Se você planeja pegar dinheiro em bancos, um plano de negócios com projeções financeiras será crucial. Até porque você precisa prever os rendimentos e despesas dos próximos anos.

Ou seja, a viabilidade econômica e financeira é uma rotina e não uma coisa que você faz e esquece. Se você não identificar o problema e corrigir em tempo hábil, talvez a inovação que salvaria o seu negócio seja o que vai acabar com ele.

Aprenda os principais conceitos econômicos, como Valor Presente Líquidos e o básico de contabilidade para gerenciar e estimar sua performance comercial, como o tempo de retorno para cada ação prevista no modelo gerencial criado.

Decisão para investir

Optar por investir em um produto é complexo, sem dúvida. E não será um problema escolher por algo que pode não dar certo, mas o errado é fazer isso “no escuro”.

Errar e corrigir rápido é essencial, mas com base no que falamos será mais difícil que uma opção errada ocorra. Busque embasar seu projeto inovador em bases sólidas e com direcionamento comercial desde o começo.

A decisão para investir irá considerar seu modelo de negócios, o planejamento financeiro (que já vamos detalhar mais), a visão de mercado e o seu poder de execução.

Lembre que sua inovação deve trazer retorno e ser viável com lucro, hein? Se você realmente irá investir, lembre de deixar muito claro para todos as suas necessidades de capital e objetivos finais.

Aqui, mais do que nunca, os indicadores levantados na análise de viabilidade econômico-financeira são essenciais, como projeções, impostos, despesas fixas e, claro, seu salário, inclusive.

Você também precisa estimar uma receita e um lucro, ok? Analisar os custos e benefícios para viabilizar de forma sólida e eficiente a sua ideia.

Faça um produto minimamente viável

Um caminho inteligente é criar um produto básico e refinar com muito planejamento. Por meio de testes e validações contínuas, sua ideia torna-se um produto com testes A/B, ofertas e escutas de marketing, além de muito refinamento e aplicação de User Experience no lançamento.

O objetivo é ter em mãos um MVP (Minimum Viable Product) que possa materializar sua ideia e, após isso, ser escalado para produção em mais escala. Muitos problemas são percebidos, corrigidos e reinventados nessa fase.

Produto viabilizado e lançamento do produto

Ao criar seu produto e viabilizar ele por meio de muitos métodos, algo precisa estar claro: sua solução ou produto deve resolver um problema do seu cliente (e estar presente no dia a dia), além de despertar a vontade de consumir sua ideia, agora materializada.

Na etapa final, do produto viabilizado, aquela ideia inicial torna-se um produto ou serviço com objetivo e retorno estimado.

Agora sua empresa sair para o mercado e pode ganhar o mundo, nem que seja a partir dos vizinhos, nesse começo. Agora todo aquele planejamento e modelagem financeira começa a vale e você sabe exatamente quanto custou cada gota de suor.

Afinal, você fez tudo funcionar e sua vida agora está em jogo. Vale destacar que o grande responsável desse processo foi sua capacidade de gerenciar uma inovação com base em um método!

E, por isso, o caminho está somente no começo. Busque refinar, remodelar, ajustar e sempre reinventar sua jornada.

Vá para o mercado

Com um produto feito, bem estruturado e organizado, chegou a hora de ir para o mercado. Construa uma estratégia de “Go To Market” com base nas suas entrevistas iniciais e defina os canais iniciais, locais, persona e público dos produtos.

O modelo de negócio fará total sentido aqui e deve ser atualizado sempre que seu alinhamento estiver em evolução. Com isso, agora sua prova está em andamento e somente um planejamento bem feito poderá indicar seu rumo.

Inove sempre

Ao estar no mercado, faça ajustes de rotas, correções de produtos e, até, desista. Ou mude sua empresa. Há uma expressão chamada “Pivotar“, que é uma mudança na estratégia do negócio de forma não estrutura.

Ela pode ser simples, como em uma parte do fluxo comercial, ao modelo completo de gestão de negócios ou proposta de valor.

O termo, que vem do inglês to pivot e significa mudar ou girar é comum e pode acontecer quando menos esperamos, basta os resultados não chegarem como o planejado. Esteja pronto para mudar, mas manter a mesma base.

Quem já passou por isso?

O Paypal, gigante no ramo de pagamentos digitais, começou como uma empresa de troca de dinheiro virtual entre dispositivos portáveis (entre os finados Palmtops).

Ao perceber a mudança de mercado, os sócios viram que o foco dos clientes na ferramenta era a realização de micro-pagamentos e transferência de dinheiro pela Internet, algo que engatinhava.

Vale destacar que pivotar é aplicar e reaproveitar elementos em uma nova estratégia, mas ainda na mesma ideia. Desistir fará com que você somente leve a experiência e aprendizado dessa falha, mas sem inovar no mesmo projeto.

Conclusão

Ao ter uma ideia e seguir todo um fluxo que vai da concepção, entendimento, análise de mercado, além da viabilidade financeira e da decisão para investir com algo em mãos, inovar sempre será na essência a solução de problemas com criatividade e muita inteligência.

Se sua ideia somente atingir uma parte do problema, ok, será como uma analgésico que não traz a cura. Busque atingir o sintoma e ser o remédio com tratamento completo, satisfazendo integralmente seu cliente de forma que ele não lembre como era antes da sua ideia.

A inovação nas empresas é o que gera a diferenciação no mercado. É muito importante ter uma boa estratégia para a inovação e ela deve estar ligada ao planejamento estratégico, pois como diz o ditado: “para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”.

Se as pessoas estão mais dispostas a valorizarem o novo e o valor social das coisas, lembre de alinhar sua inovação e nunca tirar do centro o que é mais importante: seu cliente e suas necessidades.

O recurso mais caro é o seu tempo e isso é muito valioso. Compreenda seus objetivos, organize sua rotina e não deixe para inovar quando não tiver mais tempo.

 

Se você quiser saber mais sobre o método de desenvolvimento de produtos, confira o modelo proposto pela PMExTECH! Ele permite que o empreendedor participe dessa jornada de inovação e facilite a busca pelas respostas a partir de questões importantes como mercado, tecnologia e as finanças de seu projeto.

Com isso o projeto do produto é iniciado com informações fundamentais para o sucesso dele, tornando realidade o seu sonho.

Nós somos uma plataforma de desenvolvimento de produtos que guia inventores e empresas para transformarem ideias em produtos com sucesso de vendas. A metodologia é baseada nas estratégias usadas pelas grandes empresas e otimizada para diversos portes e perfis de empresas.

Dê o primeiro passo

Preencha os dados abaixo para fazer seu cadastro:




Não fazemos spam. 
  Seus dados estão seguros.